O Casamento – Nicholas Sparks

7 comentários
Nome: O Casamento
Autor(a): Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Páginas: 224
ISBN: 9788580410563

"Após quase 30 anos de casamento, Wilson Lewis é obrigado a encarar uma dolorosa verdade: sua esposa, Jane, parece ter deixado de amá-lo, e ele é o único culpado disso. 
Viciado em trabalho, Wilson costumava passar mais tempo no escritório do que com a família. Além disso, nunca conseguiu ser romântico como o sogro era com a própria mulher. A história de amor dos pais de Jane, contada em Diário de uma paixão, sempre foi um exemplo para os filhos de como um casamento deveria ser. 
Diante da incapacidade do marido de expressar suas emoções, Jane começa a duvidar de que tenha feito a escolha certa ao se casar com ele. Wilson, porém, sente que seu amor pela esposa só cresceu ao longo dos anos. Agora que seu relacionamento está ameaçado, ele vai fazer o que for necessário para se tornar o homem que Jane sempre desejou que ele fosse."

Eu sou suspeita para falar de Nicholas Sparks, ele é de longe meu autor preferido! Escreve romances como ninguém. Quem nunca sentiu vontade de viver um amor como os dos personagens escritos por ele?
O Casamento é narrado por Wilson Lewis, um advogado casado com Jane há quase trinta anos. Juntos eles são pais de três filhos já adultos.

Wilson ainda é apaixonado pela esposa, mas acaba esquecendo do aniversário de 29 anos de casamento deles. Fato esse que acaba magoando Jane e estremecendo a relação estável do casal.

"Quantas pessoas têm essa oportunidade? De que alguém que amam se apaixone por elas várias vezes?" (Página 28)

Depois disso Wilson se dá conta de que a esposa o está tratando com certa frieza, o que o faz duvidar do amor de Jane por ele.
Buscando conselhos com seu sogro Noah, Wilson decide reconquistar a esposa. E prepara ao longo do ano uma surpresa para dar a esposa no aniversário de 30 anos de casamento.


 “Mas acabei entendendo que amar é mais do que resmungar três palavrinhas antes de dormir. O amor é sustentado por ações, pela constante dedicação às coisas que um faz pelo outro diariamente.” (Página 58)

Passam doze meses e Anna, filha do casal, anuncia que irá se casar em duas semanas. Exatamente no dia do aniversário de casamento dos pais. Wilson acaba ajudando Jane com os preparativos pro casamento e isso acaba os aproximando novamente.

"Nunca amei ninguém a não ser você, era o que eu queria dizer, mas o bom senso prevaleceu e me lembrou que seria melhor guardar essas palavras para outra ocasião, quando eu tivesse total atenção e elas pudessem ser retribuídas." (Página 79)

O ponto alto do livro é sem dúvida, a surpresa que Wilson prepara pra Jane. Meu Deus, toda mulher merecia uma assim!! rs

"Casamento é compromisso, é fazer algo pela outra pessoa mesmo que não se queira fazer." (Página 114)

A relação de amizade e cumplicidade entre Noah e Wilson é linda. Ah, o Noah que homem encantador! Sou uma eterna apaixonada por ele. rs

"É engraçado, mas já reparou que, quanto mais especiais são as coisas, menos atenção as pessoas parecem dedicar a elas? Parecem que acham que elas nunca vão mudar." (Página 162)

O final foi surpreendente e emocionante. Impossível conter as lágrimas! O Nicholas me "enganou" direitinho. rs
Fica a dica de que nunca é tarde pra dizer “Eu te amo”.

 "Reinventar a mim mesmo é uma luta diária e às vezes me pergunto se será assim pra sempre. Mas não importa, porque trago dentro do peito as lições que Noah me ensinou sobre o amor e sobre como manter acesa a sua chama. Mesmo que eu nunca venha a me tornar um verdadeiro romântico, como meu sogro, isso não significa que algum dia eu vá parar de tentar." (Página 223)

Incrível e surpreendente. Livro mais do que recomendado!

Sonhos que passam pelas frestas

7 comentários

"Hoje acordei, olhei pela janela e o dia pareceu normal. Levantei da cama, tomei café e lembrei daquela sensação esquisita, de aperto e angústia que senti no começo da semana. Fiquei com medo, aquele medo que a gente sente quando está prestes a perder uma coisa importante, quiçá fundamental em nossas vidas. Se eu fosse me confessar hoje, diria que sim, morro de medo de perder você. Acredito que as pessoas são livres, eu mesma gosto de ser livre, não quero aprisioná-lo, amarrá-lo, torturá-lo. Só quero amá-lo. O medo de perdê-lo se resume ao medo de perder o seu amor. Esse seu amor que me faz achar a vida mais bacana e menos careta.

Aquele nó que estava me revirando passou, deixei ele em algum canto que nem lembro mais. Na verdade: não faço questão. Gosto de sentimentos positivos. Nada negativo me agrada, isola, um, dois, três. Bate na madeira. Manda pra longe. Canta pra subir. Gosto de coisa viva, alegre, que faz sorrir e que pinta o coração com giz de cera e aquarela.

Coloquei uma música baixa e resolvi deitar na cama, abraçar o travesseiro e pensar em você. Ai, eu tinha esquecido, no meio de tanta turbulência, como é gostoso pensar em você. É melhor que chocolate derretido. Melhor que brigadeiro. Melhor que tudo doce que eu gosto. Melhor que água quando tô morta de sede. Taí: você é melhor do que tudo que eu preciso quando estou mesmo precisando. Mas você é tudo que eu estou precisando, te preciso a cada segundo. Nada psicopata, descontrolado, talvez só um pouco neurótico. O amor é neurose. E, aprendi, é ciúme também. Nossa, eu morro de ciúme de você. Te quero pra mim. E pra sempre. E só pra mim. E só pra sempre.

Então eu pensei em você. E quis me teletransportar pra perto. Pra fazer a cena que eu decorei: eu abraçada em você, passando a mão no seu rosto, te dando o meu sorriso-coração-tá-pulando e te beijando o nariz. Nariz? É, nariz. Beijo meigo. Aqueles de quem ama mesmo e quer cuidar e dar beijo carinhoso. E eu imaginei o seu sorriso bonito como retribuição, aquele seu olhar apertado e sincero e um te amo saindo por entre seus lábios. Foi a glória. Minha mão pela sua boca e um te amo também saindo pela minha boca. Beijo na boca. Glória de novo. Pronto: você fez meu segundo mais feliz.

(só queria estar com você hoje e poder dizer que te preciso, mas sente meu beijo, meu calor e minha energia. meu amor? você sente. sei que sim.)"

Valorosa Espera

7 comentários

"Quanto mais me guardo
mais valorosa será a chegada
toda espera é recompensada
nunca tarda, o amor tem sua hora
será como não imaginamos
surpreenderá todos os planos
antes premeditados
e numa fração de segundos
se formará o eterno.

Depois de muito longe,
estamos chegando perto."

Venha, por favor

4 comentários

“Eu espero alguém que não desista de mim mesmo quando já não tem interesse. Espero alguém que não me torture com promessas de envelhecer comigo, que realmente envelheça comigo. Espero alguém que se orgulhe do que escrevo, que me faça ser mais amigo dos meus amigos e mais irmão dos meus irmãos. Espero alguém que não tenha medo do escândalo, mas tenha medo da indiferença. Espero alguém que ponha bilhetinhos dentro daqueles livros que vou ler até o fim. Espero alguém que se arrependa rápido de suas grosserias e me perdoe sem querer. Espero alguém que me avise que estou repetindo a roupa na semana. Espero alguém que nunca abandone a conversa quando não sei mais falar. Espero alguém que, nos jantares entre os amigos, dispute comigo para contar primeiro como nos conhecemos. Espero alguém que goste de dirigir para nos revezarmos em longas viagens. Espero alguém disposto a conferir se a porta está fechada e o café desligado, se meu rosto está aborrecido ou esperançoso. Espero alguém que prove que amar não é contrato, que o amor não termina com nossos erros. Espero alguém que não se irrite com a minha ansiedade. Espero alguém que possa criar toda uma linguagem cifrada para que ninguém nos recrimine. Espero alguém que arrume ingressos de teatro de repente, que me sequestre ao cinema, que cheire meu corpo suado como se ainda fosse perfume. Espero alguém que não largue as mãos dadas nem para coçar o rosto. Espero alguém que me olhe demoradamente quando estou distraído, que me telefone para narrar como foi seu dia. Espero alguém que procure um espaço acolchoado em meu peito. Espero alguém que minta que cozinha e só diga a verdade depois que comi. Espero alguém que leia uma notícia, veja que haverá um show de minha banda predileta, e corra para me adiantar por e-mail. Espero alguém que ame meus filhos como se estivesse reencontrando minha infância e adolescência fora de mim. Espero alguém que fique me chamando para dormir, que fique me chamando para despertar, que não precise me chamar para amar. Espero alguém com uma vocação pela metade, uma frustração antiga, um desejo de ser algo que não se cumpriu, uma melancolia discreta, para nunca ser prepotente. Espero alguém que tenha uma risada tão bonita que terei sempre vontade de ser engraçada. Espero alguém que comente sua dor com respeito e ouça minha dor com interesse. Espero alguém que prepare minha festa de aniversário em segredo e crie conspiração dos amigos para me ajudar. Espero alguém que pinte o muro onde passo, que não se perturbe com o que as pessoas pensam a nosso respeito. Espero alguém que vire cínico no desespero e doce na tristeza. Espero alguém que curta o domingo em casa, acordar tarde e andar de chinelos, e que me pergunte o tempo antes de olhar para as janelas. Espero alguém que me ensine a me amar porque a separação apenas vem me ensinando a me destruir. Espero alguém que tenha pressa de mim, eternidade de mim, que chegue logo, que apareça hoje, que largue o casaco no sofá e não seja educado a ponto de estendê-lo no cabide. Espero encontrar um homem que me torne novamente necessária.”
_
Adaptado

Para Sempre – Kim Carpenter

9 comentários
Nome: Para Sempre
Subtítulo: A História que Inspirou o Filme
Autor(a): Kim Carpenter
Editora: Novo Conceito
Páginas: 144
ISBN: 9788581630083

"A vida que Kim e Krickitt Carpenter conheciam mudou completamente no dia 24 de novembro de 1993, dois meses após o seu casamento, quando a traseira do seu carro foi atingida por uma caminhonete que transitava em alta velocidade. 
Um ferimento sério na cabeça deixou Krickitt em coma por várias semanas. Quando finalmente despertou, parte da sua memória estava comprometida e ela não conseguia se lembrar de seu marido. Ela não fazia a menor ideia de quem ele era. Essencialmente, a "Krickitt" com quem Kim havia se casado morreu no acidente, e naquele momento ele precisava reconquistar a mulher que amava."


Esse livro conta a história verídica do casal Kim e Krickitt Carpenter. A história é linda, envolvente, mas confesso que eu esperava bem mais dele.

“Para Sempre é uma história verdadeira sobre a reconstrução de um casamento depois de um evento traumático que poderia ter feito a maioria das outras pessoas desistir, mas que para eles foi a chance de um novo começo.”

Além de se tratar de um romance, o livro traz uma mensagem de superação, fé, amor e fidelidade. O Kim narra em detalhes como eles se conheceram, como foi o casamento e sobre o acidente que deixou a Krickitt sem memória e sua reabilitação.

“Enquanto Krickitt dava seus primeiros passos com bastante dificuldade, eu a estimulava a continuar. Quando eu falava, ela olhava pra mim.
- Eu amo você, Krickitt – eu dizia, enquanto olhava em seus olhos.
- Eu amo você também – dizia ela, várias vezes, mas sem qualquer inflexão vocal ou expressão facial. Eu esperava poder ver ou ouvir a minha velha Krickitt, mas ela ainda não estava lá.” (Páginas 62 e 63) 

Hoje eles estão juntos e felizes, têm dois filhos, mas infelizmente a Krickitt nunca se lembrou de Kim antes do casamento, mas reaprendeu a amá-lo por tudo que ele fez por ela.

“Quando você fechar este livro, quero que se lembre de que, durante a vida, você vai enfrentar momentos muito difíceis, mas é possível encontrar a força que você precisa em Deus. Se está faltando alguma coisa em sua vida, peça. Você será atendido. Comprometa-se, e todos os compromissos assumidos serão duradouros. Para sempre.” (Página 144)

Como eu disse anteriormente, esperava mais do livro. É uma narração meio monótona. Mas ainda assim vale a pena ser lido. Uma lição que tirei do livro: o amor vence tudo. 

4 comentários

“Motivos pra desistir você vai encontrar vários, mas para amar, só basta um. O suficiente pra você amar loucamente, o suficiente que supera todos os motivos por piores que sejam pra desistir.”

AMOR - 4 SÉRIES X 8

6 comentários


"Não adianta. Mudam-se as cores do inverno, os sorrisos, as páginas das revistas, as dez mais bonitas. Mudam-se as tecnologias, as manchetes, o preço do pão, o jeito como você corta o cabelo. Mudam-se os sonhos, o clima lá fora, o tom do batom, a decoração, o que você espera de si mesma. Tudo muda o tempo todo. Mas uma coisa não muda. Não sai de moda. Não fica velho, nem ultrapassado. Quer saber? Acho amar a coisa mais eterna que existe. Não há nada mais moderno. Mais transgressor. Mais ousado – e mais antigo - que isso. Num tempo onde as pessoas mal têm tempo, amar virou coisa de gente corajosa. Porque é preciso muito peito (e muito jogo de cintura) para seguir o que temos de mais criativo: o coração. É o amor que nos faz ver o mundo de um jeito mais belo. E é o amor (e só ele!) que nos traz o valor exato das coisas simples. E você não precisa necessariamente amar uma pessoa. O amor é democrático. Você pode – e deve – amar a si mesmo e ao mesmo tempo amar alguém (essa, sim, é a melhor combinação!). E também amar a vida. Amar um projeto. Um trabalho. Um sonho. Ou – porque não? – simplesmente amar o amor. Se todo amor vale a pena? Eu acredito que sim. O mundo não está  triste só por causa das  guerras, do superaquecimento global e do tal “salve-se quem puder” As pessoas se escondem  atrás das tecnologias e de um falso liberalismo pra camuflar seus medos. Para enganar seus desejos. Ah, me desculpem, mas no fundo todo mundo quer mais é se apaixonar! Mentira minha? Duvido. Todo mundo quer amar, todo mundo quer encontrar alguém especial, todo mundo quer se livrar do medo que nos impede de andar de mãos dadas. É certo que há quem prefira o morno, os relacionamentos superficiais, as noites vazias. (Relacionamentos trazem tantos problemas e alegrias quanto estar só, isso é uma verdade). Mas tenho a impressão de que todos nós temos um leve romantismo escondido, um desejo real pelo amor, uma necessidade de amar e ser amado sem a qual a vida não teria graça. (E não haveria tantos poetas, tantas canções bonitas e tanta insônia por aí). Escrevi, uma vez, uma letra onde canta a seguinte frase: “Será que amar é mesmo tudo”? Na época eu não saberia responder. Mas, hoje, cheguei a uma breve conclusão: não, amar não é tudo. É quase tudo. Amar é o começo. O primeiro parágrafo. A primeira nota. É o que canta (e encanta). Amar é que nos faz falar. É o que nos faz acordar. É o que nos faz dizer “Bom dia” com o sorriso mais livre do mundo. Se eu estou amando? É, devo admitir. Depois de vários romances sem fim, me apaixonei por mim mesma. E, como presente,  ganhei um novo amor que é fruto de todos os grandes amores que tive. Sorte minha? Talvez. Mas amor não é apenas sorte. Não pensem também que amor é a solução pra todos os nossos problemas. Não. Amor não é solução. Amor é prêmio. Recompensa feliz para quem – afinal de contas – conseguiu manter-se fiel a si mesmo. Por isso, escrevo esse texto. Em uma época em que os desejos duram o tempo de uma estação, acho o AMOR o exercício mais radical que podemos fazer.
(O coração agradece!)"

P.s. Eu Te Amo – Cecelia Ahern

6 comentários
Nome: P.S. Eu Te Amo
Subtítulo: Existem Amores Que Duram Mais Que Uma Vida
Autor(a): Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Páginas: 368
ISBN: 9788581630625

"Gerry e Holly eram namorados de infância e ficariam juntos para sempre, até que o inimaginável acontece e Gerry morre, deixando-a devastada. 
Conforme seu aniversário de 30 anos se aproxima, Holly descobre um pacote de cartas nas quais Gerry, gentilmente, a guia em sua nova vida sem ele. Com ajuda de seus amigos e de sua família barulhenta e carinhosa, Holly consegue rir, chorar, cantar, dançar e ser mais corajosa do que nunca."


Quem já perdeu uma pessoa querida vai se emocionar com essa história. Gerry e Holly foram casados por sete anos, até que Gerry é diagnosticado com um tumor no cérebro e morre. Com a perda do marido, Holly fica arrasada e entra em depressão por dois meses.

Porém Gerry antes de morrer deixa uma série de cartas para esposa, que devem ser lidas mensalmente(de março a dezembro). Cartas essas em que Gerry deixou algumas “instruções” para que Holly pudesse seguir sua vida.

"Minha amada Holly,
Não sei onde você está e onde exatamente está lendo isso. Só espero que esteja bem. Você me disse há pouco tempo que não conseguiria continuar sozinha. Mas você consegue sim, Holly.
Você é forte, corajosa e vai conseguir passar por isso. Vivemos coisas lindas juntos e você fez a minha  vida... Você fez a minha vida. Não tenho arrependimentos. Mas sou apenas um capítulo de sua vida, muitos outros virão. Guarde nossas linda lembranças, mas, por favor, não tenha medo de criar outras.
Obrigado por me dar a honra de ser minha esposa. Por tudo, sou eternamente grato.

Sempre que precisar de mim, saiba que estarei com você.
Amor eterno, de seu marido e melhor amigo,
Gerry." (Página 29)

Um livro lindo. Tão encantador quanto o filme, que em muitos momentos nos faz entrar na história e se emocionar com Holly a cada carta aberta.

"Mire seu salto para a lua, e se não acertá-la, aterrissará entre as estrelas." (Página 208)

A família da Holly e seus amigos são uns fofos. Sempre ao lado dela, incentivando-a a sair do luto e comemorando a cada conquista dela.

Infelizmente tirando o fato da morte do Gerry e das cartas que ele deixou para Holly, o livro não tem muita coisa em comum com o filme. Difícil escolher qual é o melhor.

O final foi bem bacana, totalmente diferente do que eu estava imaginando.

“Mas Holly, a vida de ninguém é repleta de momentos perfeitos. E se fosse, não seriam momentos perfeitos. Seriam apenas normais. Como você conheceria a felicidade se nunca passasse pelas fases tristes?” (Página 301)

Se você ainda não leu, eu recomendo. Vale muito a pena!

comente!

“Estou desconfiada de que a gente cresce quando começa a aprender, com o sentimento, muito além da retórica, a não permitir que uma desilusão ou outra nos afaste de nós mesmos e nem dos nossos sonhos mais bonitos. Estou desconfiada de que a gente cresce quando é capaz de entender que estar vivo é perigoso, sim, é trabalhoso, sim, mas também é uma oportunidade rara e imperdível. Que há que se pagar o preço, se a ideia é ser feliz e inteiro.”